Para falar em pedras preciosas, a primeira informação a ser esclarecida é que o conceito de “pedra preciosa”, na verdade é a “gema” encontrada em diversos locais – rochas, rios, riachos, nas profundezas dos mares e oceanos, e até mesmo nos locais mais improváveis. Estas pedras podem ser cortadas, lapidadas e aplicadas ou em adornos, em joias e até em bijouterias finas. Ao longo dos processos de mineração que atravessaram a história do homem, já foram encontrados alguns tipos de pedras que são classificadas como preciosidades raras.

Muitos são os enganos a que algumas pessoas incorrem ao comprarem peças que são feitas de ônix,  mas que são vendidas como alabastro. Há inúmeras diferenças entre as duas pedras – entre elas duas que não poderiam passar desapercebidamente. Primeiro, porque alabastro é pedra nobre, de valor agregado alto e características que fazem dela uma pedra preciosa. Já o ônix, por várias vezes, enganosamente, é pedra vendida como sendo de valor agregado, mas que não verdade não o é. Vários são os antiquários e comerciantes do mercado de luxo que pregam este tipo de venda. O que não poderia acontecer. Então, é importante que o comprador menos desavisado fique atento às características de uma e outra e saiba como reconhece-las para não comprar gato por lebre.

O alabastro é pedra nobre, constituído por sedimentação microscópica de cálcio ou gipso, e por tempo. Segue em metamorfose e, justamente este processo é o que tornará a pedra em material de beleza rara e valor agregado. O alabastro é pertencente à família dos mármores, com dureza baixa, ficando entre 2 a 3 Mols. O alabastro é recorrente em grandes jazidas, e possui coloração translúcida que varia entre o esverdeado, amarelado e o esbranquiçado. Conta ainda com rachaduras e manchas típicas das rochas de onde são provenientes. Tais características é que tornam o alabastro uma pedra de beleza rara. Costuma ser utilizado em tampos de mesa, móveis rústicos, acabamentos em palácios nobres e peças decorativas. Costuma ser aproveitado em joias, mas é bem raro.

O ônix é um mineral ígneo, negro, opaco e de origem vulcânica. De dureza que está entre 7 Mols, pertence à família das calcedônias – jaspe, ágata, sílex, cornalina, heliotrópio, chert, prásio, e sardo.ele é composto de dióxido de silício, portanto, de natureza bastante diferente da do alabastro. Trata-se de um mineral encontrado de forma segmentada, que poderá ser encontrado solto na natureza. Pode ser usado em confecção de peças pequenas como ornamentos e algumas joias. Não possui grande valor agregado.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *