Joias religiosas são objetos que, por meio de seus desenhos e simbologias, ajudam a expressar a fé de determinadas religiões. Em geral, o que se conhece muito sobre joias religiosas são os escapulários, crucifixos, medalhinhas de santos e rosários. São peças que, por sua vez, costumam ser usadas tanto por homens quanto mulheres, que, dessa maneira, desejam expressar visualmente a suas fés.

O fato de ser um símbolo religioso, no entanto, não significa que ele deva estar sempre atrelado a formatos tradicionais. O designer deve sim inovar nas formas, cores e texturas desses símbolos, que não deixam de ter a sua “aura” por conta disso. Criar e utilizar tendências de moda, de acordo com o público, pode fazer com que seu cliente se torne fiel e compre mais variáveis da mesma peça com referências parecidas – várias medalhas de Nossa Senhora com formatos e materiais diferentes, por exemplo.

Há uma linha de design de joias que aponta para uma chamada de “vulgarização das peças religiosas”. Mas não ache que a palavra “vulgarização” está em seu sentido mais amplamente aplicado. Trata-se de retirar de um contexto determinadas peças, como é o caso dos modelos diversos de crucifixos e empregá-los unicamente como substrato da moda. Em outras palavras, usar para decorar e não demarcar a fé religiosa. Os crucifixos são largamente empregados em tendências de moda que remetiam desde o universo do rock e do gótico como um grupo urbano e até o pop, como era muito comum ver no visual da cantora Madonna.

Por isso, é sempre bom lembrar que essas joias são empregadas muitas vezes para representar um estilo, e não especificamente uma crença nesta ou naquela religião.

Não apenas os símbolos judaico-cristãos precisam ser contemplados. Outras formas de fé podem agradar outros públicos e dar ainda mais inspiração – que tal a beleza das religiões afro-brasileiras? Muitas vezes essas joias religiosas não são tratadas como necessariamente religião e reverência, mas como amuletos da sorte, então, é uma referência importante a se considerar.

O cuidado em fazer joias religiosas – cristãs ou não – é ter cuidado em tratar símbolos com respeito e não cometer gafes. Daí, muita pesquisa para desenvolver essas peças! Mesmo se tratando de design, em que queremos inovar, nos símbolos religiosos pode haver algumas regras de representação.

Então, deve-se, antes de mais nada, tomar um certo cuidado ao fazer a escolha por um modelo de joia religiosa, afinal, ninguém quer agredir a religião de ninguém, não é verdade?

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *