Pedras preciosas – quais as pedras que são tidas como as mais valiosas do mundo

Para falar em pedras preciosas, a primeira informação a ser esclarecida é que o conceito de “pedra preciosa”, na verdade é a “gema” encontrada em diversos locais – rochas, rios, riachos, nas profundezas dos mares e oceanos, e até mesmo nos locais mais improváveis. Estas pedras podem ser cortadas, lapidadas e aplicadas ou em adornos, em joias e até em bijouterias finas. Ao longo dos processos de mineração que atravessaram a história do homem, já foram encontrados alguns tipos de pedras que são classificadas como preciosidades raras. Algumas dentre elas chegam a vale milhões no mercado consumidor e que, por vezes, estão nas mãos de nobres da realeza.

O diamante Koh-i-Noor está no topo da cadeia. Trata-se do diamante considerado o mais famoso do mundo, e que pertence – em exclusividade – à coroa britânica. De valor altíssimo, ainda conta com envolventes histórias lendárias, que remontam à antiguidade. Diz-se que, o diamante Koh – i- Noor pertencia aos povos indianos, e pode ter sido encontrado pela primeira vez há cerca de 5.000 anos. Quando a Índia foi anexada ao Império Britânico, a Rainha Vitória teria se declarado também imperatriz do mundo asiático. E, em sua “coroação” teria recebido como presente, e em mãos, um exemplar do diamante Koh – i – Noor. Este exemplar ainda está em poder dos britânicos e, segundo os historiadores e especialistas em pedras preciosas, o diamante chega a pesar 108 quilates. Também afirmam que é um dos mais brilhantes de que se tem conhecimento.

Outra pedra que chama muito a atenção dos “entendidos no assunto” é a Safira Millennium. Com um tamanho que remete ao de uma bola de futebol, a safira millennium é uma preciosidade esculpida por Alessio Boschi, com desenhos de figuras históricas como Beethoven e Shakespeare. O mais impressionante é que este exemplar está à venda pela bagatela de US$ 180 milhões. Mas, caso feita a aquisição, a peça deverá ficar exposta aos olhos dos menos privilegiados.

Outra raridade é um exemplar de aquamarine, mais comumente conhecida como “água-marinha. Encontrada em 1980, no Brasil, a peça foi batizada com o nome do Imperador Dom Pedro – este era apaixonado por este tipo de pedra. No entanto, o exemplar de água – marinha está em exposição nos Estados Unidos, num museu em Washington. A pedra foi polida pelo alemão Bernd Munsteiner, que deu o formato que a pedra possui atualmente. A pedra é brilhante, translúcida, e de um azul claro profundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *